Profissional
País

A forma da luz

Formas claras, materiais autênticos: a Edição 1906 destaca-se por uma estética clássica que lança uma vez mais para o mercado um elemento de design há muito esquecido – a própria luz.

Área de leitura

"Existe um facto fundamental sobre a iluminação: Onde não existe luz, não existe beleza."

(Billy Baldwin, Lenda do Design de Interiores em Nova Iorque)

Com certa ironia, os corpos luminosos que iluminam o nosso mundo por vezes encontram-se banidos para as sombras. Quer estejam escondidos sob abat-jours ou obscurecidos por complexos difusores, o seu charme inerente poderá ser facilmente ignorado. No mínimo uma pena, já que o charme é algo que têm em abundância. Quer falemos de Edison, Globe, Oval ou Tubular, estas simples formas de lâmpada estão a caminho de transformar-se em ícones de estilo por si próprios. Reconhecendo este facto, os designers da Edição 1906 partiram com um claro objetivo em mente: honrar estas lâmpadas em toda a sua glória subestimada.

"Queríamos criar um produto atraente e emocional que fosse agradável à vista," afirma Jonas Lindemann, o responsável do projeto 1906. A ideia era simples: conceder às antigas e históricas formas de lâmpadas uma nova vida; criar "centros de atenções" capazes de mergulhar uma sala em luz subtil e suave, sem restrições impostas por caraterísticas redutoras. A pureza do design em conjunto com o acabamento de alta qualidade - "essa é uma abordagem que se encaixa no nosso perfil," afirma Lindemann.

O facto da edição se chamar "1906" não é uma coincidência: foi nesse ano que a marca Osram nasceu. A edição aborda novamente a estética simples dos produtos Osram dos inícios do século XX. No entanto, não se trata apenas de um reflexo da história da empresa; simboliza também a qualidade intemporal pela qual a Osram é atualmente conhecida.

Para que a Edição 1906 faça justiça ao legado da Osram, então a escolha de materiais e o seu acabamento deverão ser os certos. "Confiámos em componentes simples e de alta qualidade," explica o designer Gregor Faubel. As próprias lâmpadas consistem em vidro e latão enquanto que a luminária PenduLum é feita em alumínio – mas não ficamos por aí. Os designers não se pouparam a esforços para conceder ao metal o toque de autenticidade: Durante o desenvolvimento dos produtos 1906, estes foram acabados peça a peça de forma manual num torno – como se estivéssemos em 1906. "Gosto particularmente da qualidade táctil do PenduLum. É excelente toque nas suas mãos," afirmou Faubel. Um cabo têxtil clássico em preto é o toque final neste look vintage.

Mas apesar de a Edição 1906 aparentar um regresso ao passado, a tecnologia no seu interior recorda-nos que estamos no presente: as lâmpadas LED que emitem uma luz ambiente particularmente quente, graças ao seu revestimento dourado âmbar. Mas apesar de ser utilizada a tecnologia mais moderna, existem subtilezas na manutenção do tema histórico: como o atraente detalhe do design do filamento nas lâmpadas LED.

Essencialmente a Edição 1906 atravessa a ponte que existe entre o passado e o futuro; entre o calor e o brilho; entre a nostalgia sonhadora e o pragmatismo casual. O resultado é uma linha de produtos da qual Lindemann e Faubel se orgulham: "Iluminação, que não só abrilhanta uma sala – como a melhora."

Partilhar página nas Redes Sociais